Publicado por: iranbernardes | abril 27, 2009

O MINISTÉRIO DO SUPERVISOR DE CONGREGAÇÃO

Um Estudo Baseado nas Epístolas Pastorais de Paulo a Timóteo e Tito e Atos

Tito 1:5-9

Estabelecer líderes e líderes assistentes para as novas células, preparando-os com antecedência, para que estejam em boas condições no momento da multiplicação das células já existentes.

 

I Tm. 1:3; Tito 1:10-16

Instruir os líderes de célula para que preservem a doutrina e a visão do ministério em toda e sua pureza e integridade.

 

I Tm. 1:4-11

Admoestar os líderes em tudo o que se fizer necessário para a formação e desenvolvimento do caráter deles e dos membros.

 

I Tm. 1:12-17

O supervisor ministra aos líderes através de suas atitudes, palavras e ações.

 

I Tm. 1:18

Ensinar e admoestar os líderes que o ministério é um sagrado serviço e que deve ser estabelecido mediante a revelação divina.

 

I Tm. 2:1-7

Preparar os líderes para exercerem a Guerra Espiritual.

 

Atos 20:20

Orientar os líderes para que levem a igreja (célula) a exercer o seu papel de “Igreja de Duas Asas´´, participando não só da célula, como também da Celebração aos domingos.

 

I Tm. 2:9-10

Zelar pelo Estilo de Vida de simplicidade.

 

I Tm. 2:13; I Co. 11:3

Ministrar a todos os líderes casados os princípios de “Uma Só Carne´´, através do curso Casados Para Sempre e demonstrar, com sabedoria e moderação, que o homem é o cabeça da unidade familiar.

 

I Tm. 3:1-13; Tito 1:5-9

Formar e desenvolver o caráter e as virtudes dos líderes, para que estes façam o mesmo aos membros das células.

 

I Tm. 3:14

Supervisionar, mediante visitas periódicas e ocasionais, os líderes de células e sua congregação.

 

I Tm. 3:15-16

Exortar, confortar e edificar os líderes, exaltando-lhes as virtudes, e a Cristo como Senhor.

 

I Tm. 4:1-5

Exercer vigilância para proteger os líderes dos ataques de Satanás, prestando atenção às astúcias deste mundo pós-moderno.

 

I Tm. 4:6-10

Inspirar zelo pelo ministério, demonstrando seriedade e motivar os líderes a deixarem de lado as futilidades.

 

I Tm. 4:11,12

Formar e desenvolver espírito e atitude de liderança, encorajando os líderes a viverem sob o princípio de autoridade e submissão.

 

 

II Tm. 4:13-15

Incentivar os líderes ao estudo e ao ensino das Escrituras e ao desenvolvimento pessoal.

 

I Tm. 4:16

Encorajar os líderes a tomarem iniciativas próprias para o seu crescimento pessoal e também dos membros da célula.

 

I Tm. 5:1,2

Preparar os líderes para serem bons conselheiros.

 

I Tm. 5:21

Motivar os líderes a acatarem com apreço as orientações e conselhos recebidos.

 

I Tm. 5:22

O supervisor de congregação terá toda a prudência na designação de novos líderes.

 

I Tm. 5:23

Orientar os líderes a cuidarem bem de sua saúde.

 

I Tm. 5:24, 25

Conscientizar os líderes de que as obras, boas ou más, a seu tempo se manifestam espontaneamente. Ninguém precisa ficar preocupado com os pecados ainda não revelados.

 

I Tm. 6:1, 2

O Supervisor de congregação estará sempre reforçando a importância de se submeter às autoridades.

 

I Tm. 6:3-10

Ensinar as atitudes cristãs para com as riquezas.

 

I Tm. 6:10-16

Viver e estimular os líderes a viverem o estilo de vida orientado para o padrão de Deus.

 

I Tm. 6:17-19

Oferecer aos ricos o tratamento de acordo com as Escrituras, com todo o cuidado para não dispensar-lhes atenção especial e sem atacá-los nem desprezá-los.

 

I Tm. 6:20-21

Postura de muita firmeza quanto à sua condição de ministro da Palavra de Deus e para com as futilidades e sofismas.

 

II Tm. 1:2; Tt. 1:4

A relação entre o supervisor e os líderes de célula é afetiva e não legalista.

 

II Tm. 1:3

O principal ministério que o supervisor deve exercer em favor dos líderes é a intercessão.

 

II Tm. 1:4, 5

A comunhão do supervisor com os líderes de célula deve ser uma expressão de muita alegria.

 

II Tm. 2:6-10

O supervisor de congregação estará sempre ministrando sobre os líderes de células para lhes revitalizar os dons espirituais e ministeriais.

 

II Tm. 1:11

A proclamação, a representação e o ensino constituem os ministérios principais do supervisor.

 

II Tm. 2:13

Pelo próprio exemplo e pela exortação em amor, o supervisor estimulará os líderes de células a manterem o padrão de Deus em suas vidas.

 

II Tm. 3:14

Os líderes de células serão sempre encorajados, pela visão de fé e confiança, a guardarem a aliança do Senhor e de uns com os outros.

 

II Tm. 1:15

O caráter e as emoções dos líderes de células deverão ser moldados para poderem suportar adversidades, tristezas, decepções e abandono

 

II Tm. 1:16-18

O supervisor deverá formar o caráter dos líderes de células, conduzindo-os a terem corações compassivos, a serem reconhecedores, leais e agradecidos.

 

II Tm. 2:1; Js.1:1-18

O supervisor exortará, consolará e desafiará os líderes de células, sempre com palavras de afirmação. (Eulogueu)

 

II Tm. 2:2

Passar a visão clara do princípio da reprodução e da multiplicação.

 

II Tm. 2:3

Solidariedade no sofrimento deve ser ensinada.

 

II Tm. 2:4-13

Devoção a Deus e ao serviço do seu reino deve ser desenvolvida na consciência dos líderes de célula.

 

II Tm. 2:14-26

O caráter e conduta dos líderes de células devem ser formados e desenvolvidos. O supervisor de congregação deve dar especial atenção a este ministério.

 

II Tm. 3:1-9

Em contraste com os males do mundo pósmoderno, o superintendente preparará os líderes de células para ministrarem visando a formação de uma não santa.

 

II Tm. 3:10-13

Em seu relacionamento com os líderes de células, o supervisor os encorajará, reconhecendo o apoio, o amor, a fidelidade e a lealdade deles, advertindo-os de possíveis sofrimentos.

 

II Tm. 3:14-17

A essencialidade e a centralidade das Escrituras devem ser sempre trazidas à consciência dos líderes.

 

II Tm. 4:1-5

Fidelidade e zelo na proclamação devem estar no centro do coração do líder.

 

II Tm. 4:6-8

O supervisor deve aprender e ensinar a conjugar os verbos da fé, tanto nos tempos passado com e futuro.

 

II Tm. 4:9-18

Desprezado dos homens, acolhido por Deus. Todos os líderes cristãos devem se preparar para tempos difíceis.

II Tm. 4:19-22

O supervisor de congregação será bem-aventurado se formar, ao longo da vida, um exército de amigos.

About these ads

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: