Publicado por: iranbernardes | maio 5, 2009

Impactando Gerações

Parte I

O maior Impacto

Por:  Prs. Ricardo e Raqueline Garcia

 

Encontro Nacional Jovem 09 - MGM“Antes que eu te formasse no ventre materno, eu te conheci, e, antes que saísses da madre, te consagrei, e te constituí profeta às nações.” (Jeremias 1:5). 

Impacto

Impacto é o que acontece quando a rota de um asteróide encontra-se com um planeta, como ocorreu há aproximadamente 50 mil anos, entre um pequeno meteoro, com 30 a 50 metros de diâmetro, e a Terra. Mais especificamente, perto de Winslow, Arizona, uma cratera de 1200 metros de diâmetro e 200 metros de profundidade foi formada pelo impacto.

 

Cratera de Barringer

Cratera de Barringer

Um meteoróide comum chega a entrar na atmosfera há 70 Km por segundo e já foram identificadas, pelo menos, 120 crateras, na Terra, formadas por esses impactos. Um impacto mais recente aconteceu em 1908, na Sibéria, em uma região remota conhecida como Tunguska. O objeto tinha aproximadamente 60 metros de diâmetro e desintegrou-se completamente antes de bater no solo. No entanto, todas as árvores foram derrubadas em uma área de 50 Km e o som da explosão foi ouvido em Londres.

Cientistas afirmam que o impacto de um meteoro ou asteróide há 65 mil anos foi responsável pela formação de uma cratera de 180 Km de diâmetro e também pela extinção dos dinossauros.

Ao longo da história da humanidade podemos ver vários impactos que causaram grandes mudanças físicas, materiais, sociais, morais e espirituais.Descobertas científicas, guerras, movimentos, revoluções econômicas, sociais e espirituais têm impactado a vida do homem. Quanto maior o impacto, maior o efeito que ele causa, tanto no momento do choque, quanto em conseqüências para o futuro.

O próprio Deus tem impactado a história do homem de maneiras surpreendentes. Sua intervenção em vários momentos da vida humana impacta não somente o presente, mas também o passado e o futuro. Deus impacta a vida do homem para a eternidade. Imagine, por exemplo, quando Deus criou a mulher e a trouxe ao homem, que grande impacto sobre sua  vida. Quando Deus deu nova chance à humanidade através de Noé e sua família, ou quando libertou Israel do Egito, guiando seu povo pelo deserto. Imagine uma multidão sendo guiada pelo deserto com uma grande nuvem durante o dia e uma coluna de fogo durante a noite, no céu. As histórias de Abraão, o sacrifício de Isaac, Josué e muros de Jericó, Davi e Golias e a própria criação do universo e da Terra. Com esses e muitos outros acontecimentos a intervenção de Deus tem impactado a vida humana para a eternidade. 

O maior impacto…

 Não houve maior impacto para a vida humana do que a vinda de Jesus. Desde a queda do homem pelo pecado, nada poderia causar maior impacto do que Deus vivendo entre nós, principalmente  seu sacrifício na cruz,para dar vida eterna ao homem. O sacrifício de Jesus no Calvário causou o maior impacto porque está ligado justamente à eternidade. Esses são os maiores impactos que podem ser causados: Impactos que influenciam o relacionamento de Deus com o homem. Só poderemos entender isso se compreendermos, pelo menos um pouco, qual a duração da eternidade e a importância da ligação entre o homem e seu criador.

 Max Lucado declara em seu CD “Ele Escolheu os Cravos”:

 “A história tem somente um evento principal. A história da humanidade é repleta de momentos importantes: A primeira faísca e o primeiro fogo; o primeiro rolar da primeira roda; o tratamento da primeira ferida. Quem ousa minimizar esses eventos, mas quem ousaria compará-los com a crucificação de Cristo.

 A história tem somente um evento principal.  As Escrituras têm somente um evento principal. Outros eventos são importantes, mas só um é essencial. A história de Jericó pode emocioná-lo, mas paredes derrubadas não podem redimi-lo. Moisés pode ensiná-lo o caminho, mas não uma solução para seus pecados. A vitória de Davi sobre Golias pode diminuir sua timidez, mas só a crucificação de Cristo o prepara para a eternidade. As escrituras têm somente um evento principal,  até mesmo a vida de Jesus tem somente um evento principal, pois se não houvesse a crucificação de Cristo, não haveria verdade em Jesus Cristo. E quando falamos da sua vida, a verdade é a mesma.

 Remover a crucificação é remover a dobradiça da Porta da Esperança, a porta da sua esperança. Pois sem a crucificação não teria sido feito nenhum sacrifício pelos pecadores. Sem o sacrifício pelos pecadores, como enfrentar um Deus sem pecado. Poderá perdoar os seus próprios pecados?

Sem a crucificação não haveria a ressurreição de Jesus e, sem a ressurreição de Jesus como você poderá ter vida nova? Você abrirá o seu próprio túmulo?

 O perdão dos pecados, a ressurreição dos mortos. Esses são os legados da crucificação de Jesus. Não se deixe enganar, a crucificação de Jesus não é um evento na história. A crucificação é o maior evento da história.”. 

Homens Comuns Podem Impactar Gerações

 A vida de Jesus com certeza é o maior exemplo de impacto sobre a vida humana, mas Deus dá a oportunidade para que homens comuns também sejam usados para impactar as suas gerações. A vida do profeta Elias, assim como de muitos outros homens usados por Deus, demonstra essa realidade.

 “Elias era homem semelhante a nós, sujeito aos mesmos sentimentos, e orou, com instância, para que não chovesse sobre a terra, e, por três anos e seis meses, não choveu. E orou, de novo, e o céu deu chuva, e a terra fez germinar seus frutos.”. (Tiago 5:17 e 18).

 Deus pode usar um homem comum para impactar sua geração positivamente. Davi era apenas um jovem, o mais jovem entre os 8 filhos de Jessé, e foi muito usado por Deus. Ainda jovem, derrotou Golias, enfrentou os inimigos de Israel e sobreviveu à perseguição de Saul. Mais tarde, reinou sobre Israel deixando um grande legado para sua nação, que chegou até nós. Era apenas um jovem pastor de ovelhas, mas sua influência até hoje impacta os cultos cristãos através dos instrumentos musicais criados por ele, Salmos e também em toda cultura que envolve o louvor, as ofertas, a oração e a expressão do amor a Deus. Sem dúvida, Davi é um exemplo de um homem comum sendo usado por Deus desde a sua juventude.

 Temos vários exemplos bíblicos de pessoas que buscaram servir a Deus e foram tremendamente usadas por Ele. Isso, sem limites de idade, posses ou posição social. Daniel e seus amigos eram ainda jovens quando foram levados para a Babilônia e impactaram de tal forma aquele reinado que o rei Dario, um homem que não servia a Deus chegou a escrever um decreto para todo o seu reino falando sobre o Deus de Daniel.

 “Então o rei Dario escreveu aos povos, nações e homens de todas as línguas que habitam em toda a terra: Paz vos seja multiplicada! Faço um decreto pelo qual, em todo o domínio do meu reino, os homens tremam e temam perante o Deus de Daniel, porque ele é o Deus vivo e que permanece para sempre; o seu reino não será destruído, e o seu domínio não terá fim. Ele livra, e salva, e faz sinais e maravilhas no céu e na terra; foi ele quem livrou a Daniel do poder dos leões.” (Daniel 6:25 a 27).

Fomos Chamados para Impactar

 Qual o sentido dos impactos? Qual é importância de seus acontecimentos ao longo da história?

 Os impactos significam um grande potencial para  mudanças no mundo. Um impacto pode romper com a inércia de um corpo, há muito adormecido, assim como pode parar outro corpo que anda em alta velocidade. Os impactos podem causar mudanças enormes, e é por isso que são tão importantes.

 Não fosse pelos impactos causados por Deus, diretamente ou através homens chamados por Ele, na história, a humanidade já teria se destruído, consumida pela miséria do pecado.

 Deus tem usado alguns homens para provocar profundas mudanças no mundo. E é para isso que nós também fomos chamados. Quando formos convictos dessa verdade, através do Espírito Santo, transformaremos a realidade das gerações que, de uma forma ou de outra, tenha contato com a mensagem que vivemos e pregamos.

 Nosso impacto sobre o mundo deve ser através de uma vida de santidade, do testemunho, da pregação do Evangelho, do poder e da graça de Jesus Cristo. Toda espécie de influência que pudermos exercer sobre as pessoas deve impactá-las para provocar mudanças, direcionando-as ao Reino de Deus.

O relacionamento pessoal com Deus, a busca por Ele, refletirá diretamente no poder da influência que causamos. O tempo que investimos em oração, no conhecimento das Escrituras e na intercessão, potencializarão nossos esforços em tarefas específicas de evangelização e edificação.

Sobre a influência precisamos destacar: O homem não está em busca de orientações que possam ser obedecidas, mas sim, em busca de modelos que possam ser seguidos. Torne-se um referencial.

Deus tem chamado homens, cada um em seu tempo na história, para transformar o mundo através do evangelho. Podemos traçar uma linha interligando tais homens atuando em suas gerações, passando a tocha da fé às gerações que os seguiram, trazendo-a até aos dias em que vivemos.

Martinho Lutero é para nós exemplo de um homem que provocou grandes mudanças positivas em seu tempo, através do impacto que causou pelo conhecimento das verdades do evangelho. O que vivemos hoje em nossa fé deve-se bastante à sua vida.

Fomos chamados para impactar gerações e transformar a vida em nosso momento na história. Para isso precisamos da convicção de nosso chamado, por Jesus Cristo.

Precisamos dessa convicção como a teve John Bunyan (1628), preso por pregar o evangelho, sendo um leigo. Ao ser questionado quanto a receber sua liberdade dependendo de que ele parasse de pregar, respondeu: “Se for solto hoje, pregarei amanhã”. Bunyan ficou preso durante 12 anos porque não se comprometeu a parar de pregar. Ele é o autor do livro “o Peregrino”, o livro cristão mais traduzido, desde seu lançamento.

Somente uma dedicação ao Reino de Deus que surge da convicção de Seu senhorio, é capaz de mudar nossa vida e, assim, transformar o mundo. Jonathan Edwards (1703) foi um homem que experimentou intensamente essa verdade. Quando foi ordenado ao pastorado, declarou: “Dediquei-me solenemente a Deus e o fiz por escrito, entregando a mim mesmo e tudo que me pertencia ao Senhor, para não ser mais meu em qualquer sentido, para não me comportar como quem tivesse direitos de forma alguma [...], travando, assim, uma batalha com o mundo, a carne e Satanás até o fim da vida.”

Antes de apresentar um de seus sermões, “Pecadores nas mãos de um Deus irado”, Jonathan Edwards passou três dias sem se alimentar e sem  dormir, somente pedindo: “Deus, dá-me a Nova Inglaterra!”.  Enquanto lia o seu sermão, de maneira calma e penetrante, o Espírito Santo mostrou às pessoas como estava o horror de suas realidades. Um homem correu para frente, interrompendo o sermão, clamando por oração e quase todos ficaram de pé ou prostrados no chão. O poder de Deus foi de tal maneira impactante sobre aquela vila que as pessoas pararam de brigar, deixaram a taverna vazia e ficavam em suas casas, se dedicando à leitura, oração e meditação, clamando: “O que devo fazer para ser salvo?” Mais de 300 almas foram salvas.

Um outro exemplo maravilhoso é o movimento dos Morávios, movimento no qual jovens se venderam como escravos para ter a oportunidade de evangelizar escravos.  Em 1735, um grupo de morávios, em viagem num navio, passou por uma grande tormenta, a ponto de quase naufragar. Enquanto outros passageiros gritavam de medo, os moravianos cantavam hinos, acalmando a todos. O testemunho deste grupo foi tão forte que chegou a impactar a vida de John Wesley, que viajava no mesmo navio. John estava em uma viagem missionária e seu relacionamento com os morávios influenciou profundamente seu ministério.

Mais tarde, John Wesley, impactado por uma experiência que lhe trouxe a certeza de sua salvação, passou a usar todas as suas energias para pregar a salvação a outros. Nesse tempo, as pregações ocorriam somente dentro dos templos, mas John passou a pregar nas ruas, para até 20 mil pessoas de uma vez.Sua declaração era: “O mundo é minha paróquia”.

Depois de exemplos como esses, podemos pensar que não temos a capacidade necessária para causar qualquer tipo de impacto em nossos dias, e isso é verdade. Mas fomos chamados para isso, fomos eleitos para impactar as gerações. Fomos chamados para sermos homens como esses que entregaram suas vidas para servir ao Senhor. E, quem nos chamou, tem o poder para nos capacitar.

Quem nos elegeu? Quem nos entregaria tal tarefa tão especial e nobre? Deus nos chamou e elegeu para a tarefa de impactar as gerações com o poderoso Evangelho de Jesus Cristo.

 “Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz;” (I Pedro 2:9).

Realmente, não poderíamos nos candidatar a essa eleição. Mas fomos comprados pelo sangue de Jesus e, agora, somos Sua propriedade exclusiva, cidadãos do Reino de Deus.

“vós, sim, que, antes, não éreis povo, mas, agora, sois povo de Deus, que não tínheis alcançado misericórdia, mas, agora, alcançastes misericórdia.” (1 Pedro 2:10).

Alguns que ainda não conheceram o amor de Deus pensam que os Cristãos são presunçosos, orgulhosos, por declararem que vão viver no Céu, que são embaixadores do Reino de Deus, até mesmo porque declaram que são santos. É porque desconhecem o que aconteceu verdadeiramente. Não éramos povo de Deus, nem povo éramos, porque estávamos dispersos e desgarrados, mas agora, por causa da misericórdia de Deus, mesmo que não valíamos nada, fomos comprados pelo sangue de Jesus, chamados por Ele, feitos Seu povo, eleitos por Ele para anunciar as virtudes Dele que nos chamou das trevas para a Sua maravilhosa luz. Sim, nós que vivíamos em trevas, agora vivemos em Sua maravilhosa luz.

Mesmo que nós não compreendamos esse amor e tamanho gesto de misericórdia, não temos como negar o que Ele fez por nós. Agora resta  dizermos sim, Senhor, eu aceito e recebo o Teu chamado, a eleição do Senhor.

Em Apocalipse 1:5 e 6 mostra claramente que Jesus foi quem nos constituiu reino e sacerdotes para Deus. A capacidade realmente não é nossa por mérito, mas Deus age baseado em Sua natureza que é o amor, não por nosso mérito ou capacidade.

Nós nem mesmo teríamos condições de escolher a Jesus. Mas Ele, em Seu infinito amor escolheu-nos para Seu reino e confiou-nos a tarefa de expandi-lo.

 “Não foram vocês que me escolheram; pelo contrário, fui eu quem os escolhi para que vão e dêem fruto e que esse fruto não se perca. Isso a fim de que o Pai lhes dê tudo o que pedirem em meu nome.” (João 15:16).

 “Agora, meus irmãos, lembrem do que vocês eram quando Deus os chamou. Do ponto de vista humano poucos de vocês eram sábios ou poderosos ou de famílias importantes. Para envergonhar os sábios, Deus escolheu aquilo que o mundo acha que é loucura; e, para envergonhar os poderosos, ele escolheu o que o mundo acha fraco. Para destruir o que o mundo pensa que é importante, Deus escolheu aquilo que o mundo despreza, acha humilde e diz que não tem valor. Isso quer dizer que ninguém pode ficar orgulhoso, pois sabe que está sendo visto por Deus. Porém Deus uniu vocês com Cristo Jesus e fez com que Cristo seja a nossa sabedoria. E é por meio de Cristo que somos aceitos por Deus, nos tornamos o povo de Deus e somos salvos. Portanto, como as Escrituras Sagradas dizem: “Quem quiser se orgulhar, que se orgulhe daquilo que o Senhor faz.” (1 Coríntios 1:26 a 31). 

Autoridade para Impactar: Dependendo de Deus

 Quando um candidato a qualquer cargo ou função é eleito, após tomar a posse ele é investido de uma autoridade que não tinha antes. Assim é para os que foram eleitos por Deus. O chamado foi feito, a eleição realizada, eu e você fomos comissionados e, a partir do momento que tomamos posse de nossa função, somos revestidos da autoridade para realizar tudo o que for necessário para cumprir totalmente nosso chamado. Somente depois de assumirmos a responsabilidade de impactar as gerações, teremos a autoridade para fazê-lo.

 “Então Ele disse: Vão pelo mundo inteiro e anunciem o evangelho a todas as pessoas. Quem crer e for batizado será salvo, mas quem não crer será condenado. Aos que crerem será dado o poder de fazer estes milagres: expulsar demônios, pelo poder do meu nome e falar novas línguas; se pegarem em cobras ou beberem algum veneno, não sofrerão nenhum mal; e, quando puserem as mãos sobre os doentes, estes ficarão curados.” (Marcos 16:15-18).

 “Escutem! Eu dei a vocês poder para pisar cobras e escorpiões e para, sem sofrer nenhum mal, vencer a força do inimigo.” (Lucas 10:19).

Essa autoridade e poder são dados, não para que façamos as coisas independentemente, mas para que as façamos na dependência do Espírito Santo e em Sua comunhão. É o poder Dele agindo em nós que impacta as pessoas com sinais, prodígios, maravilhas, curas, libertações e, principalmente,  com nosso testemunho. Fomos chamados para  glorificar a Deus através de nossas vidas, ou seja, pelo modo com que vivemos, e comunicar o Poder do Evangelho de Jesus Cristo às pessoas.

Jesus nos conferiu esse poder através do Espírito Santo. Foi o que aconteceu no dia de Pentecostes, quando o Espírito Santo foi derramado sobre a Igreja. Esse poder está disponível para nós também hoje, basta o buscarmos para a realização do propósito de Deus.

 “mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra.” (Atos 2:8).

 “Ao cumprir-se o dia e Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar; de repente, veio do céu um som, como de um vento impetuoso, e encheu toda a casa onde estavam assentados. E apareceram, distribuídas entre eles, línguas, como de fogo, e pousou uma sobre cada um deles. Todos ficaram cheios do Espírito Santo e passaram a falar em outras línguas, segundo o Espírito Santo lhes concedia que falassem.” (Atos 2:1-4).

O Espírito Santo é quem nos dá poder para testemunhar sobre a vida em Jesus Cristo. Ele é poderoso. Mesmo quando testemunhamos com nosso viver ou falamos para as pessoas a respeito do Evangelho de Jesus Cristo, quem as convence é o Espírito Santo. Não é apenas um ato racional, afinal, a salvação é pela fé, e a fé não pode ser baseada na sabedoria humana. Dependemos Dele para impactar o mundo com o Evangelho.

Observe o que Jesus declarou aos discípulos a respeito da obra  do Espírito Santo:

“Quando ele (O Espírito Santo) vier, convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo.” (João 16:8).

   Jesus também declarou a respeito do poder que movia sobre Ele:

 “O Espírito do Senhor está sobre mim, pelo que me ungiu para evangelizar os pobres; enviou-me para proclamar libertação aos cativos e restauração da vista aos cegos, para pôr em liberdade os oprimidos, e apregoar o ano aceitável do Senhor.” (Lucas  4:18 e 19).

É esse ,mesmo poder que está sobre as nossas vidas. Nós  recebemos o chamado e também o poder através do Espírito Santo para sermos Suas testemunhas:

“E vós possuís unção que vem do Santo e todos tendes conhecimento.”

 (1 João 2:20).

“mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra.” (Atos 2:8).

Esse poder é exercido quando estamos em comunhão com Deus, porque o poder flui Dele e através de nós, alcança outras pessoas. Se cortamos essa comunhão, não temos em nós o poder nem para nós mesmos, nem para os outros.

Se não estivermos ligados a Jesus, conectados Nele, não poderemos comunicar Seu poder as pessoas. Essa dependência leva-nos a ter a mesma vida que ministramos aos outros.

“Permanecei em mim, e eu permanecerei em vós. Como não pode o ramo produzir fruto de si mesmo, se não permanecer na videira, assim, nem vós o podeis dar, se não permanecerdes em mim.  Eu sou a videira, vós, os ramos. Quem permanece em mim, e eu, nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer.” (João 15:4-5). 

Impactando Gerações – Parte II

Gerações que Compreendem o Propósito de Deus

Por:  Prs. Ricardo e Raqueline Garcia

Gerações que compreendem o propósito de Deus são gerações que se realizam. Cumprir aquilo para o qual foi-se criado é a maneira de confirmar a identidade e o propósito de uma vida ou geração.

Uma pessoa que não sabe para que vive, vive por viver, sem a  noção do porque existe e para que foi criada. Ela está fadada a uma vida sem sentido, sem valor, onde os dias, um após  o outro, não constroem um caminho para um alvo certo, algo de valor maior do que ela mesma. Desta maneira, os dias ou fases de sua vida tornam-se apenas fragmentos desconexos, vindo um após o outro apenas pelo fator tempo, jamais pelo fator propósito.

Podemos fazer com que nossas vidas se tornem mais valiosas. A cada dia ou fase que passamos podemos experimentar o acréscimo de mais valor a nossa vida. Isso é possível quando descobrimos o propósito de Deus para nós.

Uma geração inteira pode ser impactada ao descobrir seu propósito em Deus. Ele tem um propósito para você e para  mim, para nossas gerações e para as futuras também, assim como teve para as gerações passadas.

 Creio tanto na força do propósito divino que ouso a dizer que gerações diferentes, unificam-se pelo poder direcionador do propósito de Deus. Como numa corrida de revezamento, o bastão é passado de uma geração a outra mantendo o mesmo alvo, multiplicando a força, uma após outra, no desejo de alcançar o alvo comum a todas elas.

Desta maneira, podemos receber as palavras que cada geração antes da nossa recebeu, da parte de Deus. Esse é o bastão passado de geração a geração. Essas mensagens têm um foco e um alvo comum e, ao final da corrida, crianças, homens e mulheres de todas as gerações comemorarão o resultado da corrida de revezamento. Deus estará recebendo os vencedores dessa corrida.

 “O vencedor será assim vestido de vestiduras brancas, e de modo nenhum apagarei o seu nome do Livro da Vida; pelo contrário, confessarei o seu nome diante de meu Pai e diante dos seus anjos.” (Apocalipse 3:5).

 “Ao vencedor, dar-lhe-ei sentar-se comigo no meu trono, assim como também eu venci e me sentei com meu Pai no seu trono.” (Apocalipse 3:21)

As gerações são significativas para Deus. Ele tem propósito, tanto para as pessoas individualmente, quanto para gerações inteiras. Ele é quem traz as gerações à existência.

 “Quem fez tudo isso? Quem chama as gerações à existência desde o princípio? Eu, o Senhor, que sou o primeiro, e que sou eu mesmo com os últimos.” (Isaías 41:4).

Billy Graham, um dos maiores evangelistas de nossos tempos, declarou: “Cada geração é crucial, cada geração é estratégica.”.

Daphne Kirk escreveu em seu livro “Reconectando as Gerações”: “Deus escolheu cada geração; ele colocou seu amor em cada uma. As gerações não se sucedem continuamente sem um sentido de destino ou propósito. Elas são guiadas pelo Deus Todo-Poderoso que deseja que o destino de cada indivíduo e da geração como um todo se cumpra.”

Estamos em uma corrida de revezamento. Cada geração passa à outra o que recebeu do Senhor através da geração que a antecedeu.

“Grande é o Senhor e mui digno de ser louvado; a sua grandeza é insondável. Uma geração louvará a outra geração as tuas obras e anunciará os teus poderosos feitos.” (Salmo 145:3-4).

 “O que ouvimos e aprendemos, o que nos contaram nossos pais, não encobriremos a seus filhos; contaremos à vindoura geração os louvores do Senhor, e o seu poder, e as maravilhas que fez.” (Salmo 78: 3-4).

 “Jesus, aproximando-se, falou-lhes, dizendo: Toda a autoridade me foi dada no céu e na terra. Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias atee a consumação do século.” (Mateus 28:18 a 20).

Vamos cumprir a nossa parte nesta grande comissão. Conhecer a Deus através de sua Palavra, anunciar a Sua grandeza, pregar o evangelho e interceder por nossa geração. 

Uma Geração que Busca e Atende ao Chamado do Senhor

Um dia estaremos diante de Deus para vivermos eternamente com Ele. Esse é o grande final da maratona de revezamento de geração após geração. A Igreja de Jesus em todas as gerações será a vencedora desta maratona. Precisamos ter em nosso coração a visão da última geração completando a Corrida de Revezamento dos Séculos, para darmos o máximo e cumprir o propósito de Deus para nossa geração. Nossa geração cumprirá o seu propósito se cada um de nós tiver a convicção desse propósito e cumprir com a sua parte nesta grande tarefa.

Somos parte da grande comissão instituída por Jesus. Como Deus chamou ao profeta Isaías, nos chama hoje para trabalharmos por Ele.

“No ano da morte do rei Uzias, eu vi o Senhor assentado sobre um alto e sublime trono, e as abas de suas vestes enchiam do templo.

Serafins estavam por cima dele; cada um tinha seis asas: com duas cobria o rosto, com duas cobria os seus pés e com duas voava.

E clamavam uns para os outros, dizendo: Santo, santo, santo é o Senhor dos Exércitos; toda a terra está cheia da sua glória.

As bases do limiar se moveram à voz do que clamava, e a casa se encheu de fumaça.

Então, disse eu: ai de mim! Estou perdido! Porque sou homem de lábios impuros, habito no meio de um povo de impuros lábios, e os meus olhos viram o Rei, o Senhor dos Exércitos!

Então, um do serafins voou para mim, trazendo na mão uma brasa viva, que tirara do altar com uma tenaz; com a brasa tocou a minha boca e disse: Eis que ela tocou os teus lábios; a tua iniqüidade foi tirada, e perdoado, o teu pecado.

Depois disto, ouvi a voz do Senhor, que dizia: A quem enviarei, e quem há de ir por nós? “Disse eu: eis-me aqui, envia-me a mim.” (Isaías 6:1-8).

Nessa perspectiva Isaías recebeu o seu chamado: Alguém que enxerga a santidade de Deus, a sua grandeza e teme porque sabe não merecer ter visto o Senhor. Após perceber isto, Isaías passa por uma experiência poderosa: Um serafim toca os seus lábios com uma brasa viva e retira, assim, sua iniqüidade. Então, após ser santificado, Isaías ouve a voz do Senhor.

Deus não chega a pronunciar o nome de Isaías. Deus não disse: Isaías somente tenho a você para ir por mim. Absolutamente! O chamado de Deus aqui parece até despretensioso, como se não estivesse direcionado a ninguém. Mas para Isaias aquele era o momento, a melhor hora, onde ele poderia juntar-se ao propósito do grande Deus, e não perdeu a chance.

Isaías poderia ter respondido ao Senhor: Deus, vou ver se encontro alguém para fazer esse trabalho e, quando o encontrar direi que o Senhor o chama. Isaías não ouviu o seu nome, propriamente, mas foi como se tivesse ouvido, tamanho o desejo de servir a Deus e responder positivamente à sua pergunta.

Imagino Isaías olhando ao redor, quase não acreditando estar ouvindo a voz de Deus. Será que é comigo? Estou ouvindo Deus perguntar-me algo? Deus quer que alguém se responsabilize por um trabalho e eu posso ser esse alguém? Não posso esperar um segundo, vou gritar, antes que alguém o faça: “Eis-me aqui, envia-me a mim!”.

Esse é o tipo de homem que quero ser a cada dia. Alguém que não foge do chamado de Deus, à uma tarefa difícil, comprometedora, abrangente e poderosa. Quero ouvir o meu nome a cada vez que Deus fizer essa pergunta: “A quem enviarei e quem há de ir por nós?”

Talvez você ainda não tenha ouvido o seu nome, mas poderá ouvi-lo, se quiser atender ao chamado do Senhor. Busque por esse chamado, queira que Deus o chame e responda a Ele prontamente: Eis-me aqui, envia-me a mim.

Sim, esta mensagem é para aqueles que querem receber uma responsabilidade. Aqueles que anseiam por atender ao desejo do coração do Pai. Deus nos deu a oportunidade de dizermos: Eis-me aqui. Isto significa um grande privilégio. 

O Mover de Deus sobre as Gerações

Várias gerações receberam de Deus, manifestações especiais com o fim da realização de Seu propósito. Tais acontecimentos estão descritos tanto na Bíblia como também fazem parte da história da Igreja que Jesus Cristo fundou aqui na Terra, ao longo desses mais de 2 mil anos. São dons, habilidades que Deus confere, colocando pessoas em meio as gerações para impactá-las com o seu poder.

Um exemplo disso é João Batista, o profeta que anunciou, de perto, a chegada do Messias. Seu ministério foi profetizado por Isaías, conforme nos revela a Bíblia em Mateus 3, verso 3:

 “Naqueles dias, apareceu João Batista pregando no deserto da Judéia e dizia: Arrependei-vos, porque está próximo o reino dos céus. Porque este é o referido por intermédio do profeta  Isaías: Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do Senhor, endireitai as suas veredas.” (Mateus 3:1-3).

Jesus Cristo refere-se a João Batista como Elias que estava para vir.

 “Mas para que saístes? Para ver um profeta? Sim, eu vos digo, e muito mais que profeta. Este é de quem está escrito: Eis aí eu envio diante da tua face o meu mensageiro, o qual preparará o teu caminho diante de ti.”  (Mateus 11:9 e 10).

 “Porque todos os profetas e a Lei profetizaram até João. E, se o quereis reconhecer, ele mesmo é Elias, que estava para vir.” (Mateus 11:13 e 14).

João Batista não era Elias, mas sobre o que Jesus está falando? Jesus está dizendo sobre o cumprimento da profecia de que o poderoso Deus enviaria um mover profético, uma capacidade, uma habilidade para cumprir o seu propósito.

João Batista pregou, profetizou, batizou, e preparou o caminho para Jesus. Sua mensagem era simples e direta, também poderosa: Arrependei-vos pois está próximo o Reino dos Céus!

Jesus voltará em breve para buscar sua Igreja, logo Ele julgará a Terra. Eis a palavra profética que está para se cumprir mais uma vez:

 “Eis que vos enviarei o profeta Elias, antes que venha o grande e terrível Dia do Senhor; ele converterá o coração dos pais aos filhos e o coração dos filhos a seus pais, para que eu não venha e fira a terra com maldição.” (Malaquias 4:5 e 6).

Podemos experimentar esse mover de “Elias” em nossa geração, preparar o caminho do Senhor, endireitar as veredas, pregar que o Reino de Deus está próximo e que é necessário arrepender-se e receber o perdão dos pecados através do sacrifício de Jesus. Deus derramará sobre esta geração o mover do Espírito Santo e converterá o coração dos pais aos filhos e dos filhos a seus pais. Essa éa geração que evangeliza, prega o arrependimento e a santificação, e declara que o Reino de Deus está próximo. 

Gerações que se Inspiram na Vida de Homens Usados por Deus

Podemos nos inspirar na vida de homens usados por Deus em sua geração e pedir que Ele derrame sobre nossa geração o mesmo espírito, a mesma intenção, a mesma intensidade na obra do Senhor e o mesmo mover do Espírito Santo.

Eliseu pediu que ele mesmo recebesse como herança de seu mestre, Elias, porção dobrada de seu espírito e, isso, ele recebeu (2 Reis 2). Eliseu tornou-se, assim, o sucessor de Elias. O espírito significa mais que simplesmente a habilidade, significa a intenção, o caráter santo, a intensidade.

A Geração como Samuel

Peçamos a Deus que nos faça como os homens que Ele usou em suas gerações. Tenhamos o mesmo espírito e a mesma intenção que eles. Que nossa geração possa ser reconhecida pelos nomes desses homens, tamanha nossa identificação com o propósito que tiveram para suas vidas.

Há um homem na Bíblia que admiro muito; seu nome é Samuel. Consagrado ao Senhor desde antes de sua concepção (1 Samuel 1:11), Samuel foi criado no templo, pelo sacerdote Eli.

A Geração como Samuel é aquela que ouve a voz Senhor e diz: Fala, Senhor, porque Teu servo ouve.

Esta é a geração que conhece a Deus. Busca a voz do Senhor e obedece quando Ele fala. É a geração que ministra na presença de Deus e O conhece por gastar, diariamente, tempo com Ele.

 “Samuel ministrava perante o Senhor, sendo ainda menino, vestido de uma estola sacerdotal de linho.” (1 Samuel 2:18).

Esta geração cresce na presença de Deus.

 “Abençoou, pois, o Senhor a Ana, e ela concebeu e teve três filhos e duas filhas; e o jovem Samuel crescia diante do Senhor.” (1 Samuel 2:21).

Geração que é amada por Deus e pelos homens.

 “Mas o jovem Samuel crescia em estatura e no favor do Senhor e dos homens.” (1 Samuel 2:26).

A geração de Samuel responde ao Senhor.

 “Então, veio o Senhor, e ali esteve, e chamou como das outras vezes: Samuel, Samuel! Este respondeu: Fala, porque teu servo ouve.” (1 Samuel 3:10).

Outro exemplo a ser seguido: Daniel. A Geração como Daniel é a geração que não se contamina com as iguarias do rei, os manjares deste mundo, as impurezas e padrões mundanos.

  “Resolveu Daniel, firmemente, não contaminar-se com as finas iguarias do rei, nem com o vinho que ele bebia; então, pediu ao chefe dos eunucos que lhe permitisse não contaminar-se.” (Daniel 1:8).

 A geração que ora e busca a face de Deus.

  “Daniel, pois, quando soube que a escritura estava assinada, entrou em sua casa e, em cima, no seu quarto, onde havia janelas abertas do lado de Jerusalém, três vezes por dia, se punha de joelhos e orava, e dava graças, diante do seu Deus, como costumava fazer.” (Daniel 6:10).

  Geração a quem Deus revela os mistérios, porque está em Sua presença.

  “Então, foi revelado o mistério a Daniel numa visão de noite;Daniel bendisse o Deus do céu. Disse Daniel: Seja bendito o nome de Deus, de eternidade a eternidade, porque dele é a sabedoria e o poder;” (Daniel 2:19- 20).

 A Geração como Jeremias

 É Deus quem traz à existência cada geração (Is 41:4). Ele determina o seu propósito e confere as habilidades necessárias ao seu cumprimento. No entanto, esta habilitação e o cumprimento do propósito não acontecem de maneira passiva.

 Ouvir a voz de Deus, receber sua mensagem e responder positivamente a ela, exige um posicionamento de nossa parte. Tudo isso deve ser intencional, ou seja, devemos querer ouvir sua mensagem e respondê-la positivamente.  Ao fazermos isso poderemos nos surpreender ao vermos que o propósito de Deus é maior do que poderíamos imaginar. Certamente os desafios também não serão pequenos, mas Deus estará conosco em todos eles.

 A Geração como Jeremias é aquela que compreende o chamado de Deus e o seu propósito, dede antes que Ele a chamasse à existência. Essa geração argumenta com Deus à respeito de suas deficiências e recebe a capacitação que vem Dele, confiando em Sua presença e Seu propósito.

 Apesar de poder ser inexperiente, ou sentir-se incapacitada, essa geração, exerce seu ministério com autoridade dada por Deus.

 Como profeta, essa geração transmite as palavras que recebeu do Senhor ao povo e ministra o mover do Espírito Santo, para que haja cura.

  “A mim me veio, pois, a palavra do Senhor, dizendo: Antes que eu te formasse no ventre materno, eu te conheci, e, antes que saísses da madre, te consagrei, e te constituí profeta às nações.

Então, lhe disse eu: ah, Senhor Deus! Eis que não sei falar, porque não passo de uma criança.

Mas o Senhor me disse: Não digas: Não passo de uma criança; porque a todos a quem eu te enviar irás; e tudo quanto eu te mandar falarás.

Não temas diante deles, porque eu sou contigo para te livrar, diz o Senhor.

Depois, estendeu o Senhor a mão, tocou-me na boca e o Senhor me disse: Eis que ponho na tua boca as minhas palavras.

Olha que hoje te constituo sobre as nações e sobre os reinos, para arrancares e derribares, para destruíres e arruinares e também para edificares e para plantares.” (Jeremias 1:4-10).

 Temos muito a nos inspirar nos homens usados por Deus para impactar suas gerações. O que dizer de Hananias, Misael e Azarias que não se prostraram diante da imagem de Nabucodonosor, não adoraram a outro deus, senão a Yaveh. Por isso experimentaram a presença do “Quarto Homem na Fornalha”, o anjo do Senhor, e não se queimaram. E sobre Davi que nos inspira a ser a geração que adora a Deus, louva o Seu nome, não teme os gigantes, reconhece seu pecado e pede perdão.

 Deus nos chama a sermos uma geração consagrada a Ele, inspirada naquilo que Ele fez através dos homens que se dedicaram a ao Seu propósito.

 Que Deus derrame sobre nós sua unção e capacitação para sermos a Geração como Elias, como João Batista, como Samuel, como Daniel e como Jeremias, também a Geração como os Moravianos, como John Wesley, Jonathan Edwards, John Bunyan. Talvez em uma geração futura, possam dizer: a Geração como Grão de Mostarda.

 Este é o nosso tempo, Esta é a nossa vez de  Impactar as Gerações

About these ads

Responses

  1. Parabéns!
    Eu tinha que fazer um trabalho sobre sociologia, e achei o que precisava, não li tudo, mais com certeza quando eu tiver tempo vou ler com calma, mas só pelo que eu li até agora já deu pra ver o quanto de coisas lindas e interessantes que tem aqui.
    è de pessoas como você que Deus precisa, para mandar sua palavra as demais pessoas do mundo.

    • Querida Mariana, muito obrigado por seu carinhoso comentário. Fiquei muito grato e feliz. Que bom que você foi abençoada. Um grande abraço. Iran.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: